16 de dez de 2013

James Dean

Meu menino dos olhos perdidos, esse é o apelido carinhoso que dei a este garoto rebelde (era desta maneira que ele era conhecido pela mídia) Mais existia uma pessoa e somente para ela que o seu verdadeiro eu se revelava, um garoto carente, um homem carinhoso, um garoto simples, um homem elegante, um garoto brincalhão, um homem fiel e atencioso. Após muitos anos da sua partida que encontraram os seus poemas secretos. Ah se houvesse nesta terra uma máquina do tempo, eu ia ao encontro dele, diria para não se sentir rejeitado, pois ele seria amado e lembrado a futuras gerações. Eu iria a Píer Ângelo e a incentivaria a luta pelo seu único amor. E no dia do dia 30 de setembro de 1955, eu não o deixaria entrar naquele carro de corrida que acabaria ceifando a sua vida prematuramente. Infelizmente tudo isso aconteceu, a Píer casou, e o meu menino se entregou a mulheres, bebida e a dor da rejeição e o potente veiculo transformou -se em uma lata velha. Pouco tempo James teve, ele viveu intensamente, Mesmo sentido Mesmo perdido.

0 comentários:

Postar um comentário