16 de dez de 2013

James Dean

Meu menino dos olhos perdidos, esse é o apelido carinhoso que dei a este garoto rebelde (era desta maneira que ele era conhecido pela mídia) Mais existia uma pessoa e somente para ela que o seu verdadeiro eu se revelava, um garoto carente, um homem carinhoso, um garoto simples, um homem elegante, um garoto brincalhão, um homem fiel e atencioso. Após muitos anos da sua partida que encontraram os seus poemas secretos. Ah se houvesse nesta terra uma máquina do tempo, eu ia ao encontro dele, diria para não se sentir rejeitado, pois ele seria amado e lembrado a futuras gerações. Eu iria a Píer Ângelo e a incentivaria a luta pelo seu único amor. E no dia do dia 30 de setembro de 1955, eu não o deixaria entrar naquele carro de corrida que acabaria ceifando a sua vida prematuramente. Infelizmente tudo isso aconteceu, a Píer casou, e o meu menino se entregou a mulheres, bebida e a dor da rejeição e o potente veiculo transformou -se em uma lata velha. Pouco tempo James teve, ele viveu intensamente, Mesmo sentido Mesmo perdido.

13 de dez de 2013

10 Anos do Teatro Mágico

Olá amigos, quem me conhece sabe da minha paixão pelo Teatro Mágico. Sim sou uma Rara e como toda Rara estou deixando minha pequena homenagem a esta trupe. Hoje é dia de celebração de emanar amor de gritar aos quatro cantos do nosso Brasil Sim somos raros e temos valor Vamos brilhar mais forte Afinal somos um cidadão de papelão e esse mundo não vale o mundo Queremos uma fé solúvel em nosso pequeno castelo por que nas margens de mim existe felicidade Sina nossa Estamos sempre passando por transição seja de um sonho de uma flauta ou tática e estratégia Pra todo dia Subimos na pedra mais alta Respiramos abrimos os braços Cantando Eu sinto que sei que sou um tanto bem maior

9 de dez de 2013

Sim, ainda é tempo!!

Eu esperarei Eu confiarei Ainda é tempo Enquanto eu posso respirar Enquanto eu posso caminhar Enquanto eu posso sonhar Eu esperarei Não me cansarei Ainda é tempo Eu escolhi esperar Eu escolhi ter fé As promessas de Deus se cumprirá Eu escolhi confiar eu escolhi Deus realizar

2 de dez de 2013

Apenas Um Conto

O que eu posso dizer? A Culpa foi das estrelas? Já sei A culpa foi da lua, que por sinal estava dourada Ele e Ela Ele estava sentado em um banco na praça ouvindo suas canções favoritas. Ele estava a poucos metros conversando com os amigos Ele veio ao encontro dela e começaram a conversar como velhos conhecidos. Os assuntos eram variados, manias, alegrias, tristezas, recordações. Ela sorria e ele retribuía Saíram para caminhar de braços dados como nos séculos passados Ela se imaginava muito elegante e com um vestido perolado e em seu pescoço um relicário. Ele de fraque e cartola e um relógio de mão em seu bolso direito. Ela pensava : Como sinto falta de alguém ao meu lado apenas para segurar minha mão. E de repente se viu protegida apenas por um entrelaçar dos dedos Agora era a vez de ele sorrir e ela viu o brilho em seu olhar. Ela estava fitando a lua, admirando a sua beleza singular, mesmo em meio tanto barulho ela consegue ouvir a natureza. O coração da pequena se alegra apenas a observar o cantar dos rouxinóis, sonha ao sentir a brisa do mar e se chove ela quer bailar. E ele? Ela pouco sabe dele De algo tem certeza ele é enigmático E ali atrás da capela, apenas com a lua como testemunha, partilhavam de suas experiencias de vida Ambos sabia o que e sofrer por amor, dividiam suas lágrimas de emoções E alguma coisa aconteceu naquele momento que conversavam, uma mistura de sensações, cumplicidade, amizade, carinho, sinceridade e respeito Uma união de almas, deixando o momento propicio para se entregarem a um beijo simples, cálido e adocicado Muito doce ... e com bastante ternura.